Oposición al ataque

Con la crisis económica y política en Venezuela, la oposición al gobierno vio la oportunidad de presionarlo, con protestas en el país, que seguramente es apoyada por Estados Unidos, por el hecho de su interese en el petróleo del país, terminan haciendo con que sean protestas de pelea por el poder de los políticos venezolanos que prometen la venda del petróleo a “precios de banana”, pero por lo menos de esa vez no fue tan violenta cuanto en los otros años.

Venezuela está llorando, eso todos saben por las noticias internacionales y con ese hecho, Nicolás Maduro no busca una conciliación con la derecha, que tiene mayoría en el congreso; de la misma manera, es casi imposible que la derecha se una a Maduro, pues la pelea por el poder es muy intensa.

La realidad es que la derecha golpista del siglo XX, volvió a buscar el poder en esos años, de la misma manera en Venezuela ella busca ese poder, para que todo el petróleo sea dado como regalo para los estadounidenses.

La derecha está buscando nuevamente su superioridad, que había sido perdido con el fin de las dictaduras, pero ahora ella vuelve con todo el poder y busca desestabilizar los gobiernos de izquierda consolidados en los países latinoamericanos con el anhelo de cambio y de miedo de un pasado deleznable que está en la historia de prácticamente todos los países latinos.

Por lo tanto en ese contexto, es posible que nada se arregle, pues Maduro, que tiene el apoyo del ejército reprime a las protestas de derecha y esos son ultras violentos buscando sólo el poder que está hace años en manos de la izquierda.

Em português: 

Com a crise econômica e política na Venezuela, a oposição ao governo viu a oportunidade de pressioná-lo, com protestos no país, que seguramente é apoiado pelos Estados Unidos, pelo fato de seu interesse no petróleo do país, acaba fazendo com que sejam protestos de briga pelo poder de políticos venezuelanos que prometem a venda do petróleo a “preço de banana”, mas pelo menos dessa vez não foi tão violenta quanto nos outros anos.

Venezuela está chorando, isso todos sabem pelas notícias internacionais e com o fato, Nicolás Maduro não busca uma conciliação com a direita, que tem maioria no congresso; da mesma maneira, é quase impossível que a direita se una a Maduro, pois a briga pelo poder é muito intensa.

A realidade é que a direita golpista do século XX, voltou a buscar o poder nesses anos, da mesma maneira em Venezuela ela busca esse poder, para que todo o petróleo seja dado como presente para os estadunidenses.

A direita está buscando novamente sua superioridade, que havia sido perdida com o fim das ditaduras, mas agora ela volta com todo poder e busca desestabilizar os governos de esquerda consolidados nos países latino-americanos com os sonhos de mudança e de medo de um passado apavorante que está na história de praticamente todos os países latinos.

Portanto nesse contexto, é possível que nada se acerte, pois Maduro, que tem o apoio do exército reprime os protestos de direita e esses são ultra violentos buscando só o poder que está faz anos nas mãos da esquerda.


Bibliografía: 

http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,opositores-venezuelanos-marcham-pelas-ruas-de-caracas,10000073465

Não pense, trabalhe

Para ser literal, o ministro da educação, lançou um plano de mudança no estilo de estudo no ensino médio, conhecido pelo nome de novo ensino médio.

Neste plano provisório, o ministro destacou, coisas como o fim da importância de diploma para lecionar e a retirada da obrigatoriedade de matérias essenciais, como, sociologia, filosofia e artes; vale lembrar que essas foram substituídas por cursos técnicos, ou melhor, o prepara profissional do aluno, para que ele já saia do colégio pronto para trabalhar.

Retirando essas três matérias, o aluno para de exercitar o pensamento crítico e começa a não se preocupar com o que está a sua volta, substituindo-o por curso técnico, você faz com que o aluno se prepare para o trabalho, sendo que nessa fase da vida o primordial é o estudo, é dizer, tem que ter matérias que exercitem o cérebro e se for de interesse do aluno, fazer um técnico que acompanhe, assim como é nas ETECs.

Desta forma, coisas que deveriam ser feitas em conjunto,são agora colocados em “escanteio”, para que uma só seja levada em consideração, assim, podemos ver que o governo Temer, sem dúvida é o governo do “não pense, trabalhe”, pois a ênfase no novo plano de ensino é exatamente esse.

Leitura sem preconceitos

image

Uma das maiores atrizes pornô dos últimos tempos, Sasha Grey, escreveu um livro; muitos irão dizer que não vale a pena ler este livro, dizendo, pejorativamente, que ele foi escrito por uma “puta”. Não se deve, de maneira alguma julgar o livro pela capa ou uma pessoa pelo seu trabalho; este é o fato, as pessoas devem deixar os preconceitos de lado para ler este livro, pois é extremamente técnico falando sobre os bastidores dos filmes pornôs e ainda, falando sobre sexo de uma maneira aberta e sem preconceitos nos termos a serem usados.

Neste livro, Sasha Grey, mostra que tem um amplo conhecimento em filmes e que suas ideias sobre sexo, rompem totalmente todos os tabus sobre a sexualidade feminina; lembrando de alguns fatos como: o momento, em que ela fala de seus sonhos eróticos e o seu comentário sobre a sensação de sentir beber o gozo de seu namorado. Isso mostra que ela não se sente acuada de contar suas fantasias sexuais, por mais sórdidas que sejam.

Vale lembrar que, Sasha Grey, foi atriz pornô apenas para pagar a sua faculdade, no momento em que ela se formou, simultaneamente ela deixou este trabalho de lado; também é importante ressaltar que ela já participou de filmes longa metragens como: “Confissões de uma Garota de Programa” e “Smash Cut”; nos quais ela é personagem principal.

Para quem gosta de livros eróticos com história e desejos sexuais, este livro é indicado, mas antes de mais nada, esteja preparado para acabar com seus preconceitos antes de começar a ler a primeira página.

Destruindo relações

Com a posse de Michael Temer como presidente do Brasil, vários países latinos, em resposta tiraram seus embaixadores do país, fazendo assim, com que a luta de governos anteriores do Brasil, de unificar os irmãos latinos, começou a ser destroçado.

Em resposta, o chanceler do Brasil declarou que retiraria também seus embaixadores dos países que o tiraram; esses são: Venezuela, Equador, Nicarágua e Bolívia. Concretizando-se assim a desunião latino-americana.

Desta forma, podemos ver que o golpe de 2016, não foi só “um soco no estômago” do brasileiro, mas também a chama que se acendeu para destruir as relações entre os países próximos ao Brasil, esses que devem ser chamados de irmãos.

En español:

Con la pose de Michael Temer como presidente de Brasil, varios países latinos, en respuesta, sacaron sus embajadores del país, haciendo así, con que la lucha de gobiernos anteriores de Brasil, de unificar los hermanos latinos, empiece a ser destrozada.

En respuesta, el canciller de Brasil declaró que retiraría también sus embajadores de los países que lo sacaron; esos son: Venezuela, Ecuador, Nicaragua y Bolivia. Concretizándose así la desunión latinoamericana.

De esta manera, podemos ver que el golpe de 2016, no fue solo “un puñetazo en el estómago” del brasileño, pero también la llama que se prendió para destruir las relaciones entre los países próximos a Brasil, esos que deben ser llamados de hermanos.

Bibliografía:

http://istoe.com.br/brasil-reage-a-criticas-chamando-embaixadores-em-venezuela-equador-e-bolivia/

http://www.prensa-latina.cu/index.php?o=rn&id=23289&SEO=evo-condena-golpe-parlamentario-y-convoca-a-embajador-en-brasil

http://www.carosamigos.com.br/index.php/politica/7751-golpe-acirra-batalha-diplomatica-na-america-latina

Difamando o prefeito

O jornalista da Jovem Pan e doutor em história, Marco Antônio Villa, tem uma história de sucessivos ditos hostilizando o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, tal que fez até ele mudar a agenda por um dia, como um trote para o jornalista que faz de tudo para destruir sem escrúpulos a sua imagem.

Nesta segunda-feira o prefeito de São Paulo foi a Jovem Pan para uma entrevista, pois é candidato a reeleição; o jornalista designado para entrevistá-lo, foi Villa, que sem hesitar foi para “cima” do prefeito com ofensas, que foi devidamente rebatido pelo prefeito, que sente, com razão, a necessidade de resposta.

Nenhum jornalista deve tomar os atos de Villa como exemplo, pois ele está difamando um político, tentando destruir a sua carreira, com qualquer informação em contra e sem escrúpulos, deixando de fazer o trabalho de verdade de um jornalista, que é informar e se necessário, pressionar o político para algo que a população tenha dúvida, mas nunca o jornalista deve tomar seu trabalho como a necessidade de destruir o trabalho e a imagem dos outros.

Bibliografía:

http://m.jovempan.uol.com.br/programas/jornal-da-manha/cidade-de-sao-paulo-fica-de-lado-e-haddad-bate-boca-com-marco-antonio-villa.html