Sociedade na série

Uma série original Netflix, chamada Black Mirror, mostra alguns caminhos possíveis para a sociedade, se seguirem no caminho que estão, por isso, cada episódio se relaciona a nossa vida e, talvez, seja por isso que muitas vezes dá um pequeno desconforto a cada final.

É uma série diferente, na qual, em cada episódio é uma história, sem aquela continuidade comum. Cada episódio tem um único tema em questão, mostrar a sociedade que a vida em que vivemos pode se tornar ou até mesmo, é de uma forma que pode se intensificar.

Observando, pode-se perceber uma forma de “espelho” no qual cada indivíduo pode ver as características da própria sociedade capitalista e individualista em que vive.

É uma ótima série para se ver e perceber a sociedade e acabar mudando as suas ações, não acredito que seja uma crítica, mas uma forma de alertar aos indivíduos, que caso não mudem suas ações, até que ponto se supõe que poderiam chegar.

No es sólo narcotráfico

Un país que siempre es visto por el narcotráfico y la violencia, muchos creen que lo único que hay de famoso allá es Pablo Escobar y olvida de algunos iconos de Latinoamérica, como Simón Bolívar y Gabriel García Márquez.

Es bonito ver qué mismo con la fama impuesta por la prensa internacional, muchos europeos, argentinos, chilenos y hasta mismo brasileños, van a conocer las maravillosas playas de la costa del Caribe y las famosas ciudades grandes.

Colombia es sí un país peligroso para quien no se cuida, pero pensando así todos los países lo son, no hay uno que se salva o que deje de ser así, ese es nuestro mundo, por eso no hay que tener miedo.

La historia de Latinoamérica se pasa en gran parte en Colombia, porque era allá en Bogotá, que era la capital de virreinato de Nueva Granada el cual fue lo que más trajo esclavos de África para el continente americano, entrando todos principalmente por Cartagena de indias, que los distribuía por toda la Hispanoamérica y a veces a Brasil.

Así que vamos dejar aclarado el aprendizaje de haber ido a Colombia, este país tan mal hablado por la prensa; mismo así no dejan de ir miles de turistas y esos hacen lo mismo, perciben la verdadera realidad de uno de los países que más crecen en nuestro continente y que tiene una gran historia.

 

Em português:

No país que sempre é visto pelo narcotráfico e a violência, muitos acreditam que o único que há de famoso lá é o Pablo Escobar e se esquecem de alguns ícones de América Latina, como Simón Bolívar e Gabriel García Márquez.

É bonito ver que mesmo com a fama imposta pela mídia internacional, muitos europeus, argentinos, chilenos e até mesmo brasileiros, vão conhecer as maravilhosas praias da costa do caribe e as famosas cidades grandes.

Colômbia é sim um país perigoso para quem não se cuida, mas pensando assim todos os países são, não há um que se salva ou que deixe de ser assim, esse é nosso mundo, por isso não há de ter medo.

A história de América Latina se passa em grande medida na Colômbia, porque era lá em Bogotá, que era a capital do vice-reinado de Nova Granada, o qual foi o que mais trousse escravos da África para o continente americano, entrando todos principalmente por Cartagena de Índias, que se espalhavam daí para toda a hispano América e as vezes ao Brasil.

Assim que vamos deixando aclarado o aprendizado de ter ido a Colômbia, este país tão mau falado pela imprensa; mesmo assim não deixam de ir milhares de turistas e esses fazem o mesmo, percebem a verdadeira realidade de um dos países que mais crescem em nosso continente e que tem uma grande história.

Contra as corporações

DARK MATTER -- Season:1 -- Pictured: (l-r) Zoie Palmer as The Adroid, Alex Mallari Jr. as Four, Anthony Lemke as Three, Melissa O'Neil as Two, Mark Bendavid as One, Jodelle Ferland as Five, Roger Cross as Six -- (Photo by: Dennys/Ilic/Syfy)

Uma série de ficção cientifica, na qual, em uma nave, após algum tempo em uma capsula para dormir sem envelhecer, eles acordam e percebem que não estão mais com as memorias de antes de ter acordado.

Após um bom tempo juntos e descobrindo algumas coisas, este grupo, começa a ver que sua luta poderia ser mudar a galáxia, pois eles percebem que não há modo de confiar em ninguém, pelo fato de todas as corporações que brigam por ela, não tem escrúpulos e fazem o que bem entendem com a vida das pessoas.

Pode-se pensar, que por ser uma série canadense, talvez, não tenha pensado em ser levemente de esquerda, mas, como podemos ver, pelo pensamento de que poucas corporações, que mantem um monopólio, com uma concorrência apenas entre elas, chegou a mandar em uma galáxia inteira e até mesmo na Autoridade Galáctica, que são os agentes da lei; isso se compara, a ideologia política de esquerda, na medida em que vemos as iniciativas privadas mandando no Estado e este, não tem nenhum poder e o único trabalho que exerce é em prol das próprias corporações e há um grupo que vê que isso é errado e pretende destruir este sistema.

Também, é um fato pouco perceptível, mas não menos importante, que, quase sem pensar e sem votação, uma mulher se torna a líder deste grupo, o que pode ser a mostra de uma superioridade feminina figurada na série, podendo ser apenas uma continuação da nova moda dos filmes e séries de colocar a mulher como principal e em uma posição de poder, mas é obvio, que mesmo sendo isso, não exclui a pitada feminista desenvolvida por esta questão.

Se você gosta de series de ficção cientifica com uma pitada de atos foras da lei, viaje pela galáxia com este grupo nada convencional, em sua pequena nave, destruindo os estabelecimentos das corporações, roubando-as e fugindo dos agentes da lei.

La dictadura de Ubico

guatemala-revoluci_n

En Guatemala siempre hubieron gobiernos represivos, en los años de 1931 hasta 1944 no fue distinto, pues el país vivía del plátano que vendía a menos de un dólar el kilo a la empresa de Estados Unidos la United Fruit, que era prácticamente dueña del país, pues su presidente ganancioso, Jorge Ubico Castañeda decidió cobrarles algo de plata para que plantarán y usaran de la mano de obra guatemalteca que era muy barata, ellos podrían hacer lo que quisieran en el país que el gobierno de Guatemala hasta apoyaría los hechos, así vivían los guatemaltecos en estos años. Los nacidos indios usaban una libreta y si ella no estaba toda señalada con los trabajos que hizo, él era obligado a trabajar gratis en las obras del gobierno de Ubico o en las haciendas.

Ubico era un general muy sencillo, en su llegada ya había cambiado todo el país, haciéndolo el jefe supremo de la nación y teniendo todo el control de la prensa y de los que gobernarían las provincias y ciudades de su país, todo que pasaba allá era de conocimiento de él, nada le pasaba en blanco. Reprimía todo tipo de protesta, tanto que en 1931 reprimió a la huelga de dolores y al otro año suprimió a protestas del partido comunista y de obreros, mostrándoles que no debían protestar y si trabajar para ayudar a la nación. Su gobierno sin duda fue el más duro de Centroamérica.

Estados Unidos, no se metía en los problemas de Guatemala, pues lo que él quería, que era el lucro, ya lo obtenía y mucho, compraba los quilos de plátano por vente cents y pagaba a los trabajadores por lo cuanto sacaban de las plantaciones por día y vendían para los estadounidenses y europeos por precios altos, la prosperidad norteamericana se utilizaba del mal que causaba Ubico en su país.

Ubico creó leyes para fomentar el trabajo, pero un trabajo de bajo salario, que no era permitido ser vago y todos los que podrían ser eran obligados a trabajar en haciendas de tabaco y café con un mísero salario; al fin creó la ley de Vialidad que consistía en cobrar un impuesto a más a los varones de Guatemala para que ayudarán en la construcción de las nuevas carreteras, era eso o ellos tenían que trabajar gratis en ella. Ubico hacia cuestión de siempre estar viajando por su país para saber personalmente de los problemas y reclamos de la población.

Él consideraba que los hospitales eran para los maricones, entonces mientras escuelas y las policías trabajaban bien había hartos enfermos en los hospitales, pues cortara las inversiones en salud. Se creía Napoleón y en su oficina habían muchos cuadros suyos con poses iguales a las del general francés, en las escuelas se usaba y vestía de manera militar y casi todo el país estaba así, porque le gustaba, por ese simples hecho y nada más.

Pero ni todo en Guatemala era rojo, hubo una época, antes de Ubico, en la de Juan José Arévalo que empezó a hacer leyes en favor del pueblo guatemalteco, poniendo un salario más alto que el que daba Ubico y una reforma agraria, esos cambios siguieron hasta el gobierno de Jacobo Arbenz, pero el tiempo de esas nuevas leyes fue muy corto, pues la ley de la reforma agraria que se suponía llevar tierras no usadas a propietarios autónomos en un país que todas las tierras eran de United Fruit y la empresa solo usaba su 8%, llevo que luego Estados Unidos y parte de algunos guatemaltecos creyeron que esas leyes perjudicaban el país e hicieron un golpe, lo que hasta muchos integrantes de la CIA y de la OEA felicitaron a Guatemala diciendo que sacaron un gobierno que no era a favor del progreso y esos dichos imperialistas.

Guatemala con esa parte de la historia, la peor en Centroamérica, muestra lo que hizo la doctrina Monroe, pero infelizmente no solo eso, la desvalorización del pueblo originario (los indios) hasta en el siglo XX, lo que sacó a los gobernantes e favor del pueblo y puso un que creó leyes en función y apoyo de los Estados Unidos, como si el país fuera su quintal.

Em português:

Na Guatemala sempre houveram governos repressivos, nos anos 1931 até 1944 não foi diferente, pois o país vivia da banana que vendia a menos de um dólar o quilo a empresa dos Estados Unidos a United Fruit, que era praticamente dona do país, pois seu presidente ganancioso, Jorge Ubico decidiu cobrar-lhes um pouco de dinheiro para que plantassem e usassem da mão de obra guatemalteca que era muito barata, eles podiam fazer o que quisessem no país que o governo da Guatemala até apoiaria os fatos, assim viviam os guatemaltecos nestes anos. Os nascidos índios usavam uma livreta e se ela não estava toda preenchida com os trabalhos feitos, ele era obrigado a trabalhar grátis nas obras do governo de Ubico ou nas fazendas.

Ubico era um general muito sensato, em sua chegada já havia mudado todo o país, fazendo ele ser o chefe supremo da nação e tendo todo o controle da imprensa e dos que governariam as províncias e cidades de seu país, tudo que aconteci lá era de conhecimento dele, nada passava em branco. Reprimia todo tipo de protesto, tanto que no 1931 reprimiu a greve de Dolores e a outro ano suprimiu os protestos do partido comunista e dos obreiros, mostrando a eles que não deveriam protestar e sim trabalhar para ajudar a nação. Seu governo sem dúvida foi o mais duro da América Central.

Estados Unidos, não se metia nos problemas de Guatemala, pois o que ele queria, que era o lucro, já tinha ele e muito, comprava os quilos de banana por vinte cents e pagava aos trabalhadores pelo tanto que tiravam das plantações por sai e vendiam para os estadunidenses e europeus por preços altos, a prosperidade norte-americana se utilizava do mal que causava Ubico em seu país.

Ubico criou leis para fomentar o trabalho, mas um trabalho de baixo salário, que não era permitido não fazer nada e todos os que eram, começaram a ser obrigados a trabalhar em fazendas de tabaco e café com um mísero salário; ao fim criou a lei de Vialidad na construção das novas estradas, era isso ou eles teriam que trabalhar grátis nela. Ubico fazia questão de sempre estar viajando por seu país para saber pessoalmente os problemas e reclamações da população.

Ele considerava que os hospitais eram para os gays, então enquanto escolas e a polícia trabalhavam bem havia muitos doentes nos hospitais, pois cortara os investimentos em saúde. Pensava ser Napoleão e em sua sala havia muitos quadros seus com poses iguais ao do general francês, na escola se usava e vestia de maneira militar e quase todo o país estava assim, porque ele gosta, por esse simples fato e nada mais.

Mas nem tudo na Guatemala era vermelho, houve uma época, antes de Ubico, na de Juan José Arévalo que começou a fazer leis em favor do povo guatemalteco, pondo um salário mais alto que o que dava Ubico e uma reforma agraria, essas mudanças seguiram até o governo de Jacobo Arbenz, mas o tempo dessas novas leis foi muito curto, pois a lei da reforma agraria que se suporia levar terras não usadas a proprietários autônomos em um país que todas as terras eram de United Fruit e a empresa só usava seu 8%, levou que logo Estados Unidos e parte de alguns guatemaltecos acreditassem que essas leis prejudicavam o país e fizeram um golpe, o que até muitos integrantes da CIA e da OEA felicitassem a Guatemala dizendo que tiraram um governo que não era a favor do progresso e seus ditos imperialistas.

Guatemala com essa parte da história, a pior da América Central, mostra o que fez a doutrina Monroe, mas infelizmente não só isso, a desvalorização do povo originário (os índios) até no século XX, o que tirou governantes a favor do povo e colocou um que criou leis em função e apoio dos Estados Unidos, como se o país fosse o seu quintal.

Túpac Amaru II

Él fue el último de los caciques que fueron contra los españoles, mientras estaba preso lo torturaron de todas las maneras para que dijera quienes eran sus cómplices, pero mismo con brazos rotos y durmiendo en su propia sangre, nunca los delato. Fue declarado traidor de las Américas española.

Nacido indio, de baja estatura y vestido no como indio y ni teniendo manera de serlo, valoraba su pueblo por el simple facto de haber nacido inca. Sus ideas políticas eran para ayudar a los indios y no tenía ideas europeas. Hizo un viaje a Lima para que valoraran y lo declararán en el virreinato del Perú como un legítimo Inca, cuando fue hacerlo declaró a  José Antonio de Arreche, enviado personal del rey de España: “ Señor, como tengo dicho, mis indios son conducidos como bestias de carga a las minas de Potosí”, esa era una de las razones de las cuales él quería reclamar el título, pero sin entender, con la cabeza pensando que los indios son salvajes, José Antonio le contesto que no podía entender porque un hombre pediría para reclamar a un título indígena y no a uno a la realeza española y al final no acepto el pedido.

Era un hombre de la realeza y se llama en realidad por José Miguel, el cambio era para que fuera reconocido por los otro Incas como su cacique y por eso se hacía llamar Túpac Amaru. Él también hacía parte de la masonería.

En la película sobre él hay una escena donde Túpac está hablando con unos criollos sobre la liberación de América de los realistas, los criollos dicen que eso no será algo hecho por los indios, Incas que están instintos y sí por criollos, mientras hablan los empleados que están alrededor de ellos se juntan y se agachan honrosamente en frente a Túpac.

Arriga, el encargado del Perú por el rey de España abusaba de su poder sobre los indígenas, cobrándoles altos impuestos y no les dando casi nada en cambio. Una injusticia que Túpac Amaru no dejaría que siguiera. Sus ideas eran siempre las de defender a su pueblo Inca sin pensar en los criollos o los realistas, quería que ellos, los indios, fueran respetados en una época a la que en toda América eran usados, abusados y asesinados como objetos con la excusa de que era la voluntad de Dios.

La primera rebelión del pueblo latinoamericana tiene como líder a ese gran Inca Túpac Amaru que hizo en 1780 hasta 1782 mostrar a los realistas de quien es América. Sus hechos fueron repudiados por los realistas, pues mando asesinar al representante de la corona española Arriaga y a empezar una rebelión indígena contra los criollos y realistas, la guerra fue difícil, pero los realistas lograron defender la corona y prendieron a Túpac, que fue enjuiciado y luego asesinado brutalmente en la plaza principal del Cusco.

Así esta rebelión significa la primera vez que el pueblo que fue abusado y usado por los realista por siglos percibió que era la mayoría en el continente y que debía luchar por sus derechos y fue así que el legado de Túpac Amaru se quedó por toda Latinoamérica, se expandiendo por los países andinos y hasta los del Río de la Plata que en el medio de del siglo XIX empezaron a independizaren con parte de las mismas ideologías que tenía el gran inca.

Em português:

Ele foi o último dos caciques que foram contra os espanhóis, enquanto estava preso o torturaram de todas as maneiras para que dissesse quem eram seus cumplices, mas mesmo com os braços quebrados e dormindo em seu próprio sangue, nunca os delatou. Foi declarado traidor das Américas espanholas.

Nascido índio, de baixa estatura e vestido não como índio e nem tendo jeito de sê-lo, valorizava seu povo pelo simples fato de ter nascido inca. Suas ideais politicas eram para ajudar os índios e não tinha ideias europeias. Fez uma viagem a Lima para que valorizassem e o declararão no vice-reinado do Peru como um legitimo inca, quando foi fazê-lo declarou a José Antonio de Arreche, enviado pessoal do rei da Espanha: “Senhor, como tenho dito, meus índios são conduzidos como bestas de carga para as minas de Potosí”, essa era uma das razões das quais ele queria reclamar o título, mas sem entender, com a cabeça pensando que os índios são selvagens, José Antonio lhe contestou que não podia entender porque um homem pediria para reclamar a um título indígena e não a um a realeza espanhola e ao final não aceitou o pedido.

Era um homem da realeza e se chamava na verdade pelo nome de José Miguel, a mudança para ser conhecido pelos outros incas como seu cacique e por isso se fez chamar Túpac Amaru. Ele também fazia parte da maçonaria.

No filme sobre ele há uma sena onde Túpac está falando com uns criollos sobre a libertação da América dos realistas, os criollos dizem que isso não será algo feito pelos índios, incas que estão instintos e sim por criollos, enquanto falam os empregados que estão ao redor deles se juntam e se agacham honrosamente em frente a Túpac.

Arriaga, o encarregado do Peru pelo rei da Espanha abusava de seu poder sobre os indígenas, cobrando a eles altos impostos e não lhes dando quase nada em troca. Uma injustiça que Túpac Amaru não deixaria que seguisse. Suas ideias eram sempre as de defender seu povo inca sem pensar nos criollos ou os realistas, queriam que eles, os indiso, fossem respeitados em uma época na qual em toda a América eram usados, abusados e assassinados como objetos com a desculpa de que era a vontade de Deus.

A primeira rebelião do povo latino-americano tem como líder esse grande inca Túpac Amaru que fez em 1780 até 1782 mostrar aos realistas de quem é América na verdade. Seus feitos foram repudiados pelos realistas, pois mandou assassinar ao representante da coroa espanhola Arriaga e c começar uma rebelião indígena contra os criollos e realistas, a guerra foi difícil, mas os realistas conseguiram defender a coroa e prenderam Túpac, que foi julgado e logo assassinado brutalmente na praça principal de Cusco.

Assim está rebelião significa a primeira vez que o povo que foi abusado e usado pelos realistas por séculos percebeu que era a maioria no continente e que devia lutar por seus direitos e foi assim que o legado de Túpac Amaru ficou por toda a América Latina, se expandindo pelos países andinos e até aos do Rio de la Plata que no meio do século XIX começaram a declarar independência com parte das mesmas ideologias que tinha o grande inca.

             

Bibliografía:

http://www.adonde.com/historia/1780_tupac_amaru.htm

 http://www.educar.org/Diccionarios/DiccionarioQuechua/espanolquechua/index.asp